Escala de Motivos para a Prática de Atividade Física (MPAM-R)

Com base na Teoria de Autodeterminação, Ryan, Frederick, Lepes, Rubio e Sheldon (1997) desenvolveram uma escala denominada: " Motivos para a Prática de Atividade Física - Revisada(MPAM-R)". A escala original é composta por 30 itens divididos em cinco dimensões: (1) Diversão; (2) Competência; (3) Aparência; (4) Saúde; E (5) Social. De acordo com a Teoria de Autodeterminação, a motivação precisa ser distinguida entre motivação intrínseca e extrínseca, sendo que a motivação intrínseca refere-se a fazer algo porque é inerentemente interessante ou agradável, enquanto que a motivação extrínseca refere-se ao envolvimento de uma atividade por razões como recompensas ou relacionamentos com outras pessoas. Na escala MPAM-R, os autores consideraram que Competence e Diversão é principalmente motivos intrínsecos, enquanto que as dimensões: Social, Aparência e Saúde são extrínsecamente orientadas (Ryan et al., 1997).

Em 2017, por vários motivos, nosso grupo de pesquisa publica na Frontiers in Psychology na sessão Quantitative Psychology and Measurement a traduação e adaptação desta escala para o Português.

Além disso, no manuscrito nós modificamos a forma como a escala é pontuada. Em geral, as escalas em Psicologia do Esporte são pontuadas atraves da média ou soma dos valores de cada itens por dimensão (por exemplo, média dos valores dos itens 6,15,21,28 e 30 para a dimensão social na escala original da MPAM -R). Embora este método seja amplamente usado, existem vários outros métodos (para mais detalhes, veja DiStefano et al., 2009), que podem ser mais interessantes. Uma opção seria o método de "pesos" (DiStefano et al., 2009), que utiliza o valor de carga fatorial extraído pelo Análise Fatorial Exploratória (AFE) ou Análise Fatorial Confirmatória (AFC). No método tradicional (média ou soma dos itens por dimensão), todos os itens de uma dimensão recebem igual "peso", independentemente do valor de carga fatorial extraído na AFE ou AFC. Logo, o método tradicional desconsidera a força (ou peso) para cada item na pontuação final da dimensão. Portanto, os itens com carga fatorial baixa recebem o mesmo "peso" na pontuação final da dimensão que itens com valores de carga fatorial mais elevados. Portanto, uma vantagem de usar o método de pontuação proposto pelo nosso manuscrito é que os itens com maiores cargas fatoriais têm maior peso na pontuação final da escala, enquanto que os itens com menor carga fatorial têm menos peso na pontuação final da escala.

Por fim, a escala foi adaptada e publicada com o objetivo de fornecer um instrumento de qualidade para avaliar os motivos para a prática de Atividade Física na população brasileira. Sendo assim, segue abaixo a escala e os detalhes de utilização.

Para acessar o manuscrito completo - Favor Clicar no Link


Dimensões

Diversão - Q1; Q6; Q9; Q15; Q19; Q22; Q25

Competência - Q2; Q3; Q7; Q11

Aparência - Q4; Q8; Q14; Q17; Q21; Q23

Saúde - Q10; Q13; Q16; Q20

Social - Q5; Q12; Q18; Q24; Q26

Pontuação da Escala

• Diversão - [(Q1* 0,18) + (Q6* 0,18) + (Q9* 0,12) + (Q15* 0,06) + (Q19* 0,16) + (Q22* 0,12) + (Q25* 0,18)]

• Competência - [(Q2* 0,26) + (Q3* 0,14) + (Q7* 0,30) + (Q11* 0,30)]

• Aparência - [(Q4* 0,13) + (Q8* 0,19) + (Q14* 0,21) + (Q17* 0,19) + (Q21* 0,13) + (Q23* 0,15)]

• Saúde - [(Q10* 0,18) + (Q13* 0,27) + (Q16* 0,27) + (Q20* 0,28)]

• Social - [(Q5* 0,19) + (Q12* 0,20) + (Q18* 0,22) + (Q24* 0,16) + (Q26* 0,23)]